Protocolos NEB 2018


Acesse abaixo a relação de trabalhos submetidos ao NEB até 20/05/2018


BIOMEDICINA

EDUCAÇÃO FÍSICA

ENFERMAGEM

FARMÁCIA

FISIOTERAPIA

PSICOLOGIA


Acesse abaixo a relação de trabalhos submetidos ao NEB até 10/09/2018


NUTRIÇÃO

EDUCAÇÃO FÍSICA

PÓS-GRADUAÇÃO

FARMÁCIA

SERVIÇO SOCIAL

PSICOLOGIA


Declaração Conjunta sobre Integridade em Pesquisa do II Encontro Brasileiro de Integridade em Pesquisa, Ética na Ciência e em Publicações (II BRISPE),  28 Maio-01 de Junho de 2012 (Recomendações dos Membros Participantes do Grupo de Trabalho do II BRISPE)
Acesse e/ou baixe o arquivo aqui.
Vivissecção no ensino: questões éticas e jurídicas
Nagomi Kishino, Nilza Maria Diniz

Fonte: http://static.hsw.com.br/gif/animais-em-laboratorio-1.jpg
A vivissecção constitui prática usual e arraigada nas faculdades das áreas biológicas. Nas últimas décadas, tem-se questionado a legislação, senciência e legitimidade do modelo animal, aspectos investigados neste trabalho. A discussão acerca dos animais envolve sua condição de propriedade e atribuição de direitos morais, podendo a senciência ser base para a consideração de seu statusmoral. As leis 9.605/98 e 1.1974/08 regulamentam a utilização de animais no Brasil. Contudo, a extrapolação do modelo animal nem sempre é possível, podendo comprometer a pesquisa científica e o aprendizado, de modo que a vivissecção pode ser dispensada ou substituída em algumas aulas, com vistas à qualidade da educação e ao cumprimento das leis dos direitos animais. Sugere-se o incremento da oferta de métodos alternativos à vivissecção, considerando-se que sua proibição, sem métodos substitutivos, comprometeria o aprendizado e o avanço científico, não sendo moralmente aceitável.Texto Completo: PDF
Ampliação e politização do conceito internacional de bioética


Volnei Garrafa
A América Latina e o Brasil, particularmente, tiveram importante papel na recente ampliação e politização da agenda bioética internacional, fundamentada na Declaração Universal sobre Bioética e Direitos Humanos da Unesco. O presente estudo faz um breve histórico deste processo, relacionando os problemas éticos contemporâneos com a atual crise econômica e sociopolítica mundial, que justificam a necessidade de mudanças concretas no campo da ética aplicada. Analisando certas situações nas quais a bioética vem falhando ou não se manifestando como deveria, mostra a urgência de se passar a analisar de modo distinto os conflitos morais constatados hodiernamente. O objetivo da discussão é revisar algumas concepções conservadoras da bioética que evitam desnudar os reais problemas relacionados com as desigualdades sociais, propondo novos referenciais teóricos e metodológicos de atuação futura para a mesma. Conclui sugerindo algumas medidas e mudanças – epistemológicas e práticas – necessárias ao enfrentamento das questões bioéticas daqui para a frente.
Veja o texto Completo: PDF